quinta-feira, 30 de junho de 2011

O MAIOR DOS TESOUROS

O tesouro mais valioso que o ser humano deveria ambiciona, conquista, é a sua dignidade. Mas ela só pode existir na presença de um elemento essencial, que é a consciência.


Aquele que permanece inconsciente de seu próprio poder interior, torna-se presa fácil dos manipulares e se submete sem qualquer reflexão, às exigências provenientes do mundo exterior.
Ele é facilmente reconhecível por aqueles que possuam uma mínima capacidade de observação. Amolda-se a qualquer regra, sem nenhum questionamento, para garantir a aprovação e a estima dos demais.
Nem sequer percebe que está sendo usado por variados interesses e, um dia, pode ser surpreendido pelo descarte puro e simples daqueles a quem imaginava agradar.
A dignidade não permite que nos submetamos a circunstâncias em que o respeito à nossa condição humana esteja ausente. Quem confia no direcionamento ditado por sua consciência, está disposto a pagar o preço que for preciso para manter-se fiel a si mesmo.
Os relacionamentos que estabelecemos ao longo da vida, -sejam sociais, profissionais ou afetivos-, constituem o principal campo de provas para o exercício de nosso auto-respeito.
Abrir mão de nossa dignidade para ser aceito por quem quer que seja, é o caminho mais fácil para a dependência e a escravidão.
É essencial que busquemos, a cada momento, encontrar dentro de nós a resposta a este simples questionamento: estou vivendo em sintonia absoluta com minha dignidade?
Se não conseguirmos obter um sim a esta pergunta, é hora de começar a repensar a maneira como temos enxergado nosso próprio valor.

"Zarathustra divide a evolução da consciência em três símbolos: o camelo, o leão e a criança.
O camelo é um animal de carga, pronto para ser escravizado, nunca rebelde. Ele jamais consegue dizer 'não': é um crente, um seguidor, um escravo fiel. Este é o mais baixo nível da consciência humana.
O leão é uma revolução.
O princípio da revolução é um sagrado 'não'.
Na consciência do camelo, há sempre uma necessidade de alguém conduzir e de alguém para lhe dizer: 'Tu deves fazer isto'. Ele precisa dos Dez Mandamentos. Precisa de todas as religiões, de todos os sacerdotes e de todas as escrituras sagradas, porque ele não pode confiar em si mesmo; não tem nem coragem e nem alma e nem qualquer desejo pela liberdade: é obediente.
O leão é um anseio profundo pela liberdade, um desejo de destruir todos os aprisionamentos. O leão não tem necessidade de nenhum líder - ele é suficiente em si mesmo. Não permitirá que ninguém diga a ele: "Tu deves".- isto é insultante para o seu orgulho. Ele só pode dizer: "Eu quero". O leão é responsabilidade e um tremendo esforço para se livrar de todos os aprisionamentos.
Mas, mesmo o leão não é o mais alto pico do crescimento humano. O mais alto pico é quando o leão passa também por uma metamorfose, e se torna uma criança. A criança é inocência. Não é obediência, não é desobediência; não é crença, não é descrença: é pura confiança; é um sagrado 'Sim!' à existência e à vida e a tudo que esta contém.
...Zarathustra é absolutamente a favor do espírito forte. Ele é contra o ego, mas não contra o orgulho. O orgulho é a dignidade do homem. O ego é uma entidade falsa e não se deve pensar neles, jamais, como sinônimos.
O ego é algo que o priva da sua dignidade, que o priva de seu orgulho, porque o ego tem de depender dos outros, da opinião dos outros, do que as pessoas dizem. O ego é muito frágil. A opinião das pessoas pode mudar e o ego desaparecerá no ar.
...Zarathustra deixa absolutamente claro que ele é a favor do homem forte, do homem corajoso, do aventureiro que entra no desconhecido, por caminhos não trilhados, sem nenhum medo. Ele é a favor do destemor.
...A mais baixa consciência no homem é uma deformidade: ela quer ser escravizada - ela tem medo da liberdade, porque tem medo da responsabilidade;
...A mais baixa consciência do homem permanece ignorante e inconsciente, alheia, adormecida - porque, continuamente, está sendo dado a ela o veneno da crença, da fé, do nunca duvidar, do nunca dizer não. E um homem que não pode dizer 'não', perdeu a sua dignidade.
...Não se consegue fazer de um leão um animal de carga.
Um leão tem uma dignidade que nenhum outro animal pode suster; ele não tem qualquer tesouro, qualquer reino; sua dignidade está apenas no seu estilo de ser - destemido, sem medo do desconhecido, pronto para dizer 'não', até mesmo sob o risco de morte.
...E somente depois do leão - depois do grande 'não'-, o sagrado 'sim' de uma criança é possível.
...Há momentos, até na vida daqueles que estão tateando no escuro e na inconsciência, quando, exatamente como um relâmpago, algum incidente os acorda... e o camelo não é mais um camelo: uma metamorfose, uma transformação acontece.
Gautama Buda deixou seu reino quando tinha vinte e nove anos de idade, e a razão foi um súbito relâmpago: e o camelo se tornou um leão.
...A existência tem um interesse no investimento do seu despertar, porque o seu despertar vai acordar muitas pessoas.
E, como uma regra geral, toda a consciência da humanidade será afetada por isso. Isso imprimirá algo de sua grandiosidade em cada ser humano inteligente. Talvez possa criar o anseio profundo pelo mesmo, em muitos - talvez a semente possa começar a germinar. Talvez, aquilo que está dormente se torne ativo, dinâmico.
...Um homem que tenha um espírito rebelde - e sem um espírito rebelde, a metamorfose não pode acontecer - tem de dizer: quero fazer seja o que for que a minha consciência sinta ser certo, e não quero fazer seja o que for que a minha consciência sinta ser errado. Exceto meu próprio ser, não há nenhum outro guia para mim.
...O leão não pode por si mesmo criar novos valores, mas ele pode criar a liberdade, a oportunidade na qual novos valores podem ser criados.
E quais são os novos valores?
Por exemplo: o Novo Homem não pode acreditar em nenhuma discriminação entre os seres humanos. Este será um novo valor: Todos os seres humanos são um só, a despeito da sua cor, a despeito da sua raça, a despeito das suas geografias, a despeito da sua história. Apenas "ser humano" é o suficiente.
...A verdade não é um brinquedo, você não pode comprá-la pronta... Você terá de procurá-la nos silêncios mais profundos do seu próprio coração. E, exceto você, ninguém mais pode ir lá.
...E onde quer que você fique sentado silenciosamente, meditativamente, amorosamente, você cria um templo de consciência ao seu redor. Você não precisa ir a lugar algum para adorar, porque não há ninguém mais elevado do que a sua consciência, a quem você deva fazer qualquer adoração.
...O verdadeiro sábio novamente se torna uma criança.
O círculo está completo - vir da criança de volta para a criança.
Mas, a diferença é enorme.
A criança, como tal, é ignorante. Ela terá de passar através do camelo, através do leão e voltar, novamente, para a criança - e esta criança não é exatamente a velha criança, porque ela não é ignorante. Ela atravessou todas as experiências da vida: da escuridão, da liberdade, de um impotente "sim", de um feroz "não" - e, não obstante, se esqueceu de tudo aquilo.
Isso não é ignorância, mas inocência. A primeira infância era o começo da jornada. A segunda infância é o complemento da jornada.”
As Três Metamorfoses do Espírito (Comentários de Osho sobre o Zarathustra de Nietzche)
[Elisabeth Cavalcante]

PENSAMENTO DO DIA

"Onde há muito sentimento, há muita dor." [Leonardo da Vinci]

quarta-feira, 29 de junho de 2011

A PROPÓSITO


"Tímidos e medrosos, em geral deixamo-nos conduzir pelo ego, uma entidade da psique que não conhece o amor."
[Luis Pellegrini]

O EQUILIBRIO DA ÁRVORE

De que árvore estou falando? Da Árvore da Vida, a árvore simbólica que é a base de estudo da Cabala. Mas eu poderia falar de qualquer árvore e, por essa razão, vou fazer um paralelo entre uma árvore vegetal e a Árvore da Vida e o nome árvore não é uma simples coincidência.
Ando observando as árvores de São Paulo, neste período em que tanto se ouve falar em árvore caídas, podas, falta de áreas verdes, etc. etc.
As árvores de São Paulo estão em sua grande maioria muito doentes. Vivemos numa cidade onde as áreas verdes são escassas e deficientes.
Recentemente, li num jornal que uma mosca branca está sugando a seiva dos belos e raros ficus centenários que enfeitam muitas ruas da capital e, em conseqüência, essas árvores estão morrendo aos poucos. Por que uma bela árvore ficaria doente a ponto de ser atacada por pequenas moscas brancas que aos milhares lhe sugam a seiva? O problema deve ser procurado principalmente no desequilíbrio causado pela condição insuficiente encontrada pela árvore para sua sobrevivência. Ou seja, o Meio Ambiente. Se a terra é pobre em nutrientes, se as podas mal feitas prejudicam suas raízes e sua copa frondosa, se o asfalto da calçada impede que ela receba a preciosa água, se a poluição recobre suas folhas de fuligem e a sufocam, a planta acaba enfraquecendo e quando não é a mosca branca, será o cupim ou outra praga que acabará com ela! Não há vida saudável no meio ambiente doente.
O problema, portanto, está no desequilíbrio orgânico ao qual a árvore é submetida. Como organismo vivo, ela precisa de equilíbrio entre todos os elementos biológicos para a sua sobrevivência.
O mesmo acontece com os seres humanos. Nestes dias, ouvimos falar da superbactéria do Eschirichia Coli, agora modificada. Ora, esta é uma bactéria que, como muitas outras centenas, vive dentro do nosso intestino, animais e humanos. Se nosso organismo está em equilíbrio no meio ambiente onde ela vive, a E.Coli não irá causar nenhuma doença e nem mesmo a morte do organismo. A E. Coli, porém, como qualquer outro organismo vivo, precisa sobreviver, pois esta é a lei: "Crescei e Multiplicai" ordenou Deus. E a E.Coli sobrevive no ambiente que é adequado a ela, e se multiplica. No entanto, quando a E.Coli migra para outro lugar do nosso organismo, ou seja, por exemplo (isso acontece muito especialmente com as mulheres) na uretra ou no estômago ou no pulmão, então, ela ataca o organismo e provoca uma doença. No entanto, ao longo dos séculos, os homens iniciaram uma luta contra as bactérias considerando-as causadoras de todos os males (juntamente com os vírus). Inventaram as penicilinas e mais, recentemente, os antibióticos para combater as bactérias e matá-las. E, então, elas começam a se modificar, exatamente para cumprir a sua missão de sobrevivência! Devemos convir que não há mais nada em nosso mundo atual que não seja contaminado pelos antibióticos! E, então, como sobreviveriam as bactérias? Como cumpririam a 'sua missão'? Antibióticos cada vez mais potentes, bactérias cada vez mais potentes: é a lei do mais forte, a lei da sobrevivência. Sem convívio, sem equilíbrio.
Bem, eu não estou aqui para fazer a apologia das terapias holísticas, alternativas, como a homeopatia, a antroposofia e outras similares, apesar de eu ser adepta deste tipo de terapia há muitos e muitos anos. Porém, quero neste artigo fazer um paralelo com a Árvore da Vida, como já disse desde o inicio.
Quando examino o mapa astrológico de uma pessoa com a ótica da astrologia cabalística, posiciono sobre a Árvore todos os planetas com seus aspectos astrológicos, ou seja, examino como as forças astrais interagem entre si, como a vida flui. E se alguns planetas do mapa entram em conflito com outros, causando interrupções energéticas ou até curtos-circuitos, a pessoa precisará desobstruir estes caminhos para recuperar o equilíbrio e, conseqüentemente, poder viver com saúde e bem estar e cumprir sua missão de vida.
Uma Árvore desequilibrada indicará uma possível doença e promoverá uma dificuldade de avançar em plenitude. E quando a vida não avança, ou avança aos solavancos, ou roda em círculos sem sair do lugar, então quer dizer que a nossa Árvore precisa de cura. As 'moscas brancas' irão atacar a árvore seja do ponto de vista orgânico, causando doenças de todo tipo; seja do ponto de vista emocional, causando depressões e ansiedades; seja do ponto de vista espiritual, causando a infelicidade.
Fica, então, uma pergunta: Como podemos recuperar o equilíbrio de nossa Árvore? Como encontrar a cura? Antes de mais nada, precisamos conhecer nossa árvore, examinar os desequilíbrios, saber quais são os caminhos obstruídos e depois começar o processo de cura. A cura poderá acontecer de várias maneiras, através de várias terapias, e eu não estou afirmando que aquela que eu aconselho em meu consultório seja a única terapia possível para recuperar o equilíbrio. Vários são os caminhos que nos levam até Deus. Jesus disse que chegaremos ao Pai através Dele, ou seja, através do Amor. No centro da Árvore, existe uma Esfera chamada Tipheret e que corresponde ao Sol que cada um possui em seu coração. Este centro representa nosso Eu Interior, nosso Plexo Solar de onde irradia a energia que alimenta nosso corpo.
Por essa razão, sempre aconselho meu cliente a 'fazer brilhar o seu Sol', ou seja, a ser o melhor possível aquela centelha de energia divina que cada um possui desde o inicio e que, nesta encarnação, é representada pelo seu signo solar. Será sempre este 'centro energético' que irá irradiar toda a força da qual a pessoa irá precisar e levará a seiva a todos os ramos da Árvore. A Árvore, então, irá crescer e viver durante muitos e muitos anos.
O intuito principal do estudo conjunto da Astrologia (mapa natal) do Tarô (ferramenta de cura) e da Cabala (reconhecimento de sua própria missão) serve exatamente como instrumento para a manutenção de nosso equilíbrio vegeto-animal e espiritual. O caminho de volta ao Pai é o caminho da evolução desde uma Consciência Individual para uma Consciência Coletiva. Somente se nos unirmos e nos sentirmos realmente TODOSUM poderemos nos reunir com Ele, o Pai.
[Graziella Marraccini]

PENSAMENTO DO DIA

"Há uma fina linha entre genialidade e loucura. Eu apaguei essa linha." [Oscar Levant]

segunda-feira, 27 de junho de 2011

TERMINOU O RELACIONAMENTO AFETIVO?


Faça um Corte de Laços Negativos


O término de relacionamentos afetivos é sempre marcado pelos sentimentos de tristeza e frustração. Quanto maior é a expectativa que se deposita no outro, maior é a sensação de vazio percebida, simplesmente porque parte da sua energia mental e emocional é transferida para o ser amado. Quando ele se vai, pode restar pouco. Não é raro observar em alguns casais, enquanto existe a união, a necessidade contínua da parte mais enfraquecida estar sempre PEDINDO o que deve fluir espontaneamente: Carinho, Atenção, Sexo, etc.. Isso ocorre quando você dá posse do que é seu, quando você coloca nas mãos de quem ama a responsabilidade de ser a única pessoa "capaz" de lhe fazer feliz integralmente.
É maravilhoso encontrar alguém que possamos enxergar como especial, amar, admirar, mas não podemos jamais elevar o ser amado a planos de importância superiores ao do nosso ser. Você deve primeiramente amar a si, a sua família, ao seu trabalho, enfim, amar a sua vida e tudo que pertença a ela. Ser grato a tudo que possui, perdoar seus erros, aceitar seu corpo e fazer o máximo de esforço para melhorar tudo o que lhe couber, crescendo sempre em todos os sentidos.
Dessa forma, você "ocupa seu território" e sente seu ser tão pleno, que não necessitará eleger algo ou alguém para lhe fazer feliz. Assim, você tende a atrair quem sintonize com a luz da sua alma, que só entrará na sua vida para somar e até se, por um acaso do destino, esbarrar com uma "Alma Gêmea Negativa", enxergará com clareza e terá desapego suficiente para repeli-la de forma natural, antes de criar laços, porque sente-se tão satisfeito com sua própria vida que evitará desperdiçar parte do seu tempo e da sua energia com alguém que nada somará.
Quando concebemos um relacionamento amoroso com alguém, é natural o surgimento de laços energéticos que conectam os corpos sutis de ambos, e quando se estabelece uma convivência conjugal, mais firmes ainda são esses laços. São observadas conexões etéricas, emocionais, mentais, astrais, cármicas e até mesmo morontiais. Devido à presença desses "conectores", é fato que, se uma das partes eleva seu nível de consciência e cuida melhor de sua saúde energética, e a outra parte ignora essas questões, enquanto perdurar o relacionamento pode ocorrer uma vampirização energética, obviamente inconsciente, não intencional, mas, que pode persistir mesmo após o fim da relação, devido à presença desses Laços Energéticos Negativos, mesmo que a Mente Consciente não perceba.
E, em muitos casos, mesmo quando se termina a relação que visivelmente não soma, não flui, o polo mais enfraquecido é arrebatado por um sentimento imensurável de saudade, de falta e, frequentemente nessa fase, distorce diferenças inegáveis, fatos contundentes e palavras irreversíveis na busca de argumentos para retroceder.
Nessa fase, não é raro o surgimento de falsos argumentos no coração dos que buscam a ascensão espiritual, tais como: "Como eu tenho mais consciência, eu devo perdoar e dar uma chance"; "O outro é assim, porque é vítima de uma série de limitações inerentes ao seu ambiente familiar ou por outras diversidades muito severas que enfrentou, preciso ser paciente e esperar que ELE(A) MUDE. Com o meu amor ele(a) vai mudar"; "Depois que sentiu a dor de ter me perdido, certamente vai mudar e tudo vai melhorar"; "Ele(a) é a pessoa que mais amei na minha vida. Por algum tempo me completou e me fez tão feliz quanto ninguém fez"; "Temo ficar só e não conseguir encontrar alguém que me faça mais feliz que ele(a) me fez". Esses são apenas alguns dos muitos argumentos internos que são buscados e fortalecidos quando se deseja sustentar algo que já é claramente inviável.
"Eu não consigo esquecer fulano(a)! É mais forte que eu!". Pois nesse caso, busque ajuda! Conecte-se à sua alma e às hierarquias amparadoras! Não consegue? Pois, então, PEÇA AJUDA! Se a depressão surgir, procure seus familiares ou amigos de maior nível de Coeficiente de Luz, um Psicólogo, um Terapeuta Holístico, um Psiquiatra, ou outro profissional que possa lhe dar sustentação para sua pronta recuperação. Abra-se e receba todo apoio necessário, sem sentir-se diminuído por pedir ajuda, ou violentado se houver necessidade, por exemplo, de utilizar medicamentos psiquiátricos ou freqüentar várias sessões de terapias. Independente das circunstâncias, MOVA-SE! NÃO RETROCEDA! ASSUMA O CONTROLE! RETOME PARA SI O PODER PESSOAL! PROCURE AJUDA SE PRECISAR!
No âmbito da Apometria Integrada, existe um procedimento que pode auxiliar muito na superação dessas questões: o CORTE DE LAÇOS NEGATIVOS. Utilizando as metodologias apométricas, com a supervisão direta das hierarquias de luz, mediante o emprego de comandos, formas-pensamento e símbolos específicos, induz-se o desdobramento dos corpos sutis do cliente e traz-se por projeção os corpos sutis da pessoa indicada, procedendo-se um profundo corte de todos esses laços negativos. Em seguida, também sob o amparo dos Mestres, ambas as partes são estabilizadas energeticamente, através do acionamento de "ferramentas" de perdão e de cura. O corte é finalizado com o encaminhamento da contra-parte sob os cuidados dos Mentores Apométricos. E, para a garantia da eficácia do processo, é praxe acessar o corpo causal do paciente e promover uma limpeza profunda, dissociando os estados de consciência negativos relacionados ao insucesso afetivo, vivenciados ao longo dessa ou de outras encarnações.
Acredita-se que quando a freqüência mental se mantém muito baixa pelo sofrimento continuado, pode ocorrer ressonância com as energias desses estados de consciência do passado, potencializando o sofrimento atual. Imediatamente após essa conduta, comanda-se o resgate ao longo da linha do tempo, de todas as energias de estados de consciência de elevada freqüência (Força, Poder, Elevada Auto-estima, Liberdade, Sucesso no Amor etc), trazendo-as para o momento atual. O resultado é surpreendente! Algumas pessoas têm processos mais cíclicos, necessitando de um acompanhamento mais prolongado, contudo a maioria consegue se libertar em poucas sessões. Não é raro ouvir o relato: "Quando penso ou ouço falar no nome de fulano(a), mal consigo visualizar na mente sua fisionomia". A Apometria é realmente uma ciência impressionante! Uma ferramenta genuína de Libertação da Humanidade.
[Jair Cordeiro Neto]

PENSAMENTO DO DIA

"Eu não sei quase nada, mas desconfio de muita coisa." [Guimarães Rosa]

domingo, 26 de junho de 2011

ONDE ANDA A NOSSA PACIÊNCIA?



Acordar cedo justo hoje que está chovendo, o trânsito terrível, as pessoas se irritando por qualquer motivo... parece uma egrégora formada. Acabamos perdendo a calma e a lucidez em um piscar de olhos... Implicamos com as motos no trânsito que parecem brotar sem percebermos, implicamos com o frentista do posto, que é lento e demora a nos atender... que má vontade! Implicamos com o caixa do supermercado que devia ganhar por produtividade para ser mais envolvido com o que faz.
No trabalho nos irritamos com aqueles que fazem pouco e ganham muito, com aqueles que fazem média para chegar onde desejam. Com o chefe que não percebe o ambiente de trabalho à sua volta.
Temos mais algumas coisas para nos desestruturar durante o dia: a tentativa de cancelar aquele cartão que nem pedimos, a tentativa de reclamar e ser ouvido por aquela companhia de celular que nos coloca a ouvir músicas calmas e relaxantes, quando temos vontade somente de sermos ouvimos e resolvermos o nosso problema.
Temos ainda os desafios familiares, dos que não se entendem, dos que implicam uns com os outros, dos que não sabem administrar seu dinheiro, dos que não sabem se controlar no que dizem aos outros.
Ufa! Sobrevivemos a mais um dia! Que nada! Ao chegar em casa começam as implicâncias entre o casal, as discussões sobre dinheiro e projetos futuros, além, é claro, dos filhos, que cada um com sua individualidade requer condução de conduta e atenção.
Se tudo isso está lhe fazendo mal e você está entrando na energia de cada uma destas situações descritas, tenha absoluta certeza que o problema está com você!
Isso pode à primeira vista surpreender a sua percepção, mas emanamos uma energia e recebemos esta mesma energia de volta. Se seu comportamento é desestruturado e se desequilibra com facilidade, se seus nervos estão sempre à flor da pele, pode ter a certeza de que você precisa de atenção e cuidados.
Não estamos neste mundo para viver em um caos diário; temos, sim, metas e objetivos pessoais que precisam ser observados e vividos com intensidade e isso só acontece de fato quando entramos em contato com nossa energia verdadeira, com nosso Eu Superior.
Neste exato momento, você pode estar se vendo em cada uma das situações descritas e desejando mudar. A mudança ocorre, sim, de dentro para fora. É preciso, em primeiro lugar, decretar que essa vida não é para você, que a vida que deseja é uma vida harmônica, com paz e tranquilidade, além de alegria e beleza.
O problema de fato não se encontra com todas as pessoas que estão à sua volta e, sim, dentro de você! A falta de paz e equilíbrio nos faz vibrar em um padrão que não é nosso e assim atrair as mais diversas situações conturbadas para nossa vida.
Tudo isso é, sim, possível! O início se dá na limpeza de seu inconsciente, que é justamente onde os bloqueios se encontram e que impedem que a sua vida ande, ou o conectam sistematicamente com o que não deseja.
Temos que reestruturar nossas frequências energéticas, eliminarmos padrões e vícios de comportamento que se encontram em nosso inconsciente e que são obstáculos aos nossos objetivos, estejam eles em qualquer área de sua vida. A chave para eliminarmos estes bloqueios está na Mesa Radiônica que é um poderoso instrumento da Radiestesia.
A proposta de equilíbrio pessoal pela Mesa Radiônica o leva ao vazio total, onde nada existe mas tudo é possível, seria um aprender a vibrar em outro padrão muito melhor, num padrão máximo de frequência onde é possível ter a saúde plena, o equilíbrio emocional longe do negativo, onde aprendemos também a ter equilíbrio mental, confiando e entregando cada um de nossos dias ao Universo na plena certeza que o amanhã será sempre melhor que hoje.
Neste novo estado de frequência nos livramos de energias que não nos pertencem e aprendemos a direcionar a energia para o que desejamos de fato.
Aprendemos a nos valorizar como seres humanos, tendo sempre a certeza que somos imagem e semelhança de Deus e que ele como um ser maior, nos deu de presente virtudes que são só nossas, para a plena realização de nossa missão aqui na Terra.
Esta valorização pessoal nos conduz a reconhecer que temos autoconfiança e poder pessoal! E que tudo podemos!
Se hoje você vive situações que não lhe trazem prazer e lhe roubam a energia, tenha certeza que isto não deve fazer parte de sua vida.
Todas as coisas que for tentar realizar e sentir que há entraves, ou dificuldades tenha certeza absoluta que você está perdendo seu tempo e vibrando na energia errada.
A vida é muito boa de ser vivida e tudo acontece na hora certa para aqueles que vibram na frequência de equilíbrio.
Inúmeros são os casos que atendo em meu consultório, onde a falta de paciência impera como condutora da vida da pessoa, fazendo com que esta se conecte com a primeira situação que lhe aparece e sempre de forma desequilibrada.
A falta de paciência e irritação constantes são sintomas de que você precisa cuidar de sua energia!
Não tenha pressa em encontrar o melhor relacionamento, em encontrar o melhor emprego, tenha pressa, sim, para cuidar de sua energia e equilíbrio pessoal e tudo mais lhe será acrescentado.
[Maria Isabel Carapinha]

PENSAMENTO DO DIA

"Um homem de virtuosas palavras nem sempre é um homem virtuoso." [Confúcio]

sábado, 25 de junho de 2011

A PROPÓSITO



"A essência de toda a vida espiritual é a emoção que existe dentro de você, é a sua atitude para com os outros."
[Dalai-Lama]

AS PROFECIAS DE CHICO XAVIER


O jornal Folha Espírita de maio de 2011 traz uma revelação feita em 1986, pelo médium Francisco Cândido Xavier sobre o futuro reservado ao planeta Terra e a todos os seus habitantes nos próximos anos. A revelação foi feita a Geraldo Lemos Neto, fundador da Casa de Chico Xavier, de Pedro Leopoldo (MG) e da Vinha de Luz Editora, mas somente agora ele resolveu falar.
O "engraçado" é que eu no começo da leitura não botei muita fé nessa "profecia", mas, enquanto lia, fui ficando muito sério. Isso porque as partes que marquei em negrito batem EXATAMENTE com o que Oráculo havia nos falado nas últimas décadas. Muito do que foi previsto, eu compartilhei em posts e comentários no blog antigo (os comentários se perderam para sempre, mas algumas pessoas ainda lembram de eu falar sobre a vinda de refugiados para o Brasil, não é mesmo?). Os posts ainda estão por aí, ou ainda serão publicados (um deles, de 2004, foi publicado agora, que fala de futuros equipamentos pra se comunicar com o mundo dos mortos). E muito do que foi profetizado já era pra ter acontecido, por volta do fim do milênio e começo da década, mas não aconteceu por motivos que nem ele sabia.
Este é um resumo dos pontos interessantes do texto. A íntegra pode ser lida no exemplar nº 439, ano XXXV, de maio de 2011 do jornal Folha Espírita:
"Há muito tempo carrego este fardo comigo e sempre me preocupei no sentido de que Chico Xavier não me falaria tudo o que relato nesta edição da Folha Espírita à toa, senão com uma finalidade específica. Na ocasião da conversa que descrevo nas páginas seguintes, senti que minha mente estava recebendo um tratamento mnemônico diferente, para que não viesse a esquecer aquelas palavras proféticas, e que, em momento oportuno do futuro, eu seria chamado a testemunhá-las.
Tive a felicidade de conviver na intimidade com Chico Xavier, dialogando com ele vezes sem conta, madrugada adentro, sobre variados assuntos de nossos interesses comuns, notadamente sobre esclarecimentos palpitantes acerca da Doutrina dos Espíritos e do Evangelho de Jesus. Um desses temas foi em relação ao Apocalipse, do Novo Testamento. Desde então, em nossos colóquios, Chico Xavier tinha sempre uma ou outra palavra esclarecedora sobre o assunto, pontuando esse ou aquele versículo e fazendo-me compreender, aos poucos, o momento de transição pelo qual passa o nosso orbe planetário, a caminho da regeneração".
Numa dessas conversas, lembrando o livro Brasil, Coração do Mundo, Pátria do Evangelho, escrito pelo espírito Humberto de Campos, Lemos Neto externou ao Chico sua dúvida quanto ao título do livro, uma vez que ainda naquela ocasião, em meados da década de 80, o Brasil vivia às voltas com a hiperinflação, a miséria, a fome, as grandes disparidades sociais, o descontrole político e econômico, sem falar nos escândalos de corrupção e no atraso cultural.
"Lembro-me, como hoje, a expressão surpresa do Chico me respondendo: "Ora, Geraldinho, você está querendo privilégios para a Pátria do Evangelho, quando o fundador do Evangelho, que é Nosso Senhor Jesus Cristo, viveu na pobreza, cercado de doentes e necessitados de toda ordem, experimentou toda a sorte de vicissitudes e perseguições para ser supliciado quase abandonado pelos seus amigos mais próximos e morrer crucificado entre dois ladrões? Não nos esqueçamos de que o fundador do Evangelho atravessou toda sorte de provações, padeceu o martírio da cruz, mas depois ele largou a cruz e ressuscitou para a Vida Imortal! Isso deve servir de roteiro para a Pátria do Evangelho. Um dia haveremos de ressuscitar das cinzas de nosso próprio sacrifício para demonstrar ao mundo inteiro a imortalidade gloriosa!"
Na seqüência da nossa conversa, perguntei ao Chico o que ele queria exatamente dizer a respeito do sacrifício do Brasil. Estaria ele a prever o futuro de nossa nação e do mundo? Chico pensou um pouco, como se estivesse vislumbrando cenas distantes e, depois de algum tempo, retornou para dizer-nos: "Você se lembra, Geraldinho, do livro de Emmanuel A Caminho da Luz? Nas páginas finais da narrativa, no cap. XXIV, cujo título é O Espiritismo e as Grandes Transições, nele Emmanuel afirmara que os espíritos abnegados e esclarecidos falavam de uma nova reunião da comunidade das potências angélicas do Sistema Solar, da qual é Jesus um dos membros divinos, e que a sociedade celeste se reuniria pela terceira vez na atmosfera terrestre, desde que o Cristo recebeu a sagrada missão de redimir a nossa humanidade, para, enfim, decidir novamente sobre os destinos do nosso mundo".
Pois então, Emmanuel escreveu isso nos idos de 1938 e estou informado que essa reunião de fato já ocorreu. Ela se deu quando o homem finalmente ingressou na comunidade planetária, deixando o solo do mundo terrestre para pisar pela primeira vez o solo lunar. O homem, por seu próprio esforço, conquistou o direito e a possibilidade de viajar até a Lua, fato que se materializou em 20 de julho de 1969.
Naquela ocasião, o Governador Espiritual da Terra, que é Nosso Senhor Jesus Cristo, ouvindo o apelo de outros seres angelicais de nosso Sistema Solar, convocara uma reunião destinada a deliberar sobre o futuro de nosso planeta. O que posso lhe dizer, Geraldinho, é que depois de muitos diálogos e debates entre eles foram dadas diversas sugestões e, ao final do celeste conclave, a bondade de Jesus decidiu conceder uma última chance à comunidade terráquea, uma última moratória para a atual civilização no planeta Terra. Todas as injunções cármicas previstas para acontecerem ao final do século XX foram então suspensas, pela Misericórdia dos Céus, para que o nosso mundo tivesse uma última chance de progresso moral.
O curioso é que nós vamos reconhecer nos Evangelhos e no Apocalipse exatamente este período atual, em que estamos vivendo, como a undécima hora ou a hora derradeira, ou mesmo a chamada última hora.
Perguntei-lhe sobre qual fora então as deliberações de Jesus, e ele me respondeu: "Nosso Senhor deliberou conceder uma moratória de 50 anos à sociedade terrena, a iniciar-se em 20 de julho de 1969, e, portanto, a findar-se em julho de 2019. Ordenou Jesus, então, que seus emissários celestes se empenhassem mais diretamente na manutenção da paz entre os povos e as nações terrestres, com a finalidade de colaborar para que nós ingressássemos mais rapidamente na comunidade planetária do Sistema Solar, como um mundo mais regenerado, ao final desse período. Algumas potências angélicas de outros orbes de nosso Sistema Solar recearam a dilação do prazo extra, e foi então que Jesus, em sua sabedoria, resolveu estabelecer uma condição para os homens e as nações da vanguarda terrestre. Segundo a imposição do Cristo, as nações mais desenvolvidas e responsáveis da Terra deveriam aprender a se suportarem umas às outras, respeitando as diferenças entre si, abstendo-se de se lançarem a uma guerra de extermínio nuclear. A face da Terra deveria evitar a todo custo a chamada III Guerra Mundial. Segundo a deliberação do Cristo, se e somente se as nações terrenas, durante este período de 50 anos, aprendessem a arte do bom convívio e da fraternidade, evitando uma guerra de destruição nuclear, o mundo terrestre estaria enfim admitido na comunidade planetária do Sistema Solar como um mundo em regeneração. Nenhum de nós pode prever, Geraldinho, os avanços que se darão a partir dessa data de julho de 2019, se apenas soubermos defender a paz entre nossas nações mais desenvolvidas e cultas!"
Perguntei, então, ao Chico a que avanços ele se referia e ele me respondeu: "Nós alcançaremos a solução para todos os problemas de ordem social, como a solução para a pobreza e a fome, que estarão extintas; teremos a descoberta da cura de todas as doenças do corpo físico pela manipulação genética nos avanços da Medicina; o homem terrestre terá amplo e total acesso à informação e à cultura, que se fará mais generalizada; também os nossos irmãos de outros planetas mais evoluídos terão a permissão expressa de Jesus para se nos apresentarem abertamente, colaborando conosco e oferecendo-nos tecnologias novas, até então, inimagináveis ao nosso atual estágio de desenvolvimento científico; haveremos de fabricar aparelhos que nos facilitarão o contato com as esferas desencarnadas, possibilitando a nossa saudosa conversa com os entes queridos que já partiram para o além-túmulo; enfim estaríamos diante de um mundo novo, uma nova Terra, uma gloriosa fase de espiritualização e beleza para os destinos de nosso planeta."
Foi então que, fazendo as vezes de advogado do diabo, perguntei a ele: Chico, até agora você tem me falado apenas da melhor hipótese, que é esta em que a humanidade terrestre permaneceria em paz até o fim daquele período de 50 anos. Mas, e se acontecer o caso das nações terrestres se lançarem a uma guerra nuclear? "Ah! Geraldinho, caso a humanidade encarnada decida seguir o infeliz caminho da III Guerra mundial, uma guerra nuclear de conseqüências imprevisíveis e desastrosas, aí então a própria mãe Terra, sob os auspícios da Vida Maior, reagirá com violência imprevista pelos nossos homens de ciência. O homem começaria a III Guerra, mas quem iria terminá-la seriam as forças telúricas da natureza, da própria Terra cansada dos desmandos humanos, e seríamos defrontados então com terremotos gigantescos; maremotos e ondas (tsunamis) conseqüentes; veríamos a explosão de vulcões há muito extintos; enfrentaríamos degelos arrasadores que avassalariam os pólos do globo com trágicos resultados para as zonas costeiras, devido à elevação dos mares; e, neste caso, as cinzas vulcânicas associadas às irradiações nucleares nefastas acabariam por tornar totalmente inabitável todo o Hemisfério Norte de nosso globo terrestre."
Mas, o que aconteceria especificamente com o Brasil?
Segundo o médium, "em todas as duas situações, o Brasil cumprirá o seu papel no grande processo de espiritualização planetária. Na melhor das hipóteses, nossa nação crescerá em importância sociocultural, política e econômica perante a comunidade das nações. Não só seremos o celeiro alimentício e de matérias-primas para o mundo, como também a grande fonte energética, com o descobrimento de enormes reservas petrolíferas que farão da Petrobrás uma das maiores empresas do mundo. O Brasil crescerá a passos largos e ocupará importante papel no cenário global, isso terá como conseqüência a elevação da cultura brasileira ao cenário internacional e, a reboque, os livros do Espiritismo Cristão, que aqui tiveram solo fértil no seu desenvolvimento, atingirão o interesse das outras nações também. Agora, caso ocorra a pior hipótese, com o Hemisfério Norte do planeta tornando-se inabitável, grandes fluxos migratórios se formariam então para o Hemisfério Sul, onde se situa o Brasil que, então, seria chamado mais diretamente a desempenhar o seu papel de Pátria do Evangelho, exemplificando o amor e a renúncia, o perdão e a compreensão espiritual perante os povos migrantes.

“A Nova Era da Terra, neste caso, demoraria mais tempo para chegar com todo seu esplendor de conquistas científicas e morais, porque seria necessário mais um longo período de reconstrução de nossas nações e sociedades, forçadas a se reorganizarem em seus fundamentos mais básicos."

Segundo Chico me revelou, o que restasse da ONU acabaria por decidir a invasão das nações do Hemisfério Sul, incluindo-se aí obviamente o Brasil e o restante da América do Sul, a Austrália e o sul da África, a fim de que nossas nações fossem ocupadas militarmente e divididas entre os sobreviventes do holocausto no Hemisfério Norte. Aí é que nós, brasileiros, iríamos ser chamados a exemplificar a verdadeira fraternidade cristã, entendendo que nossos irmãos do Norte, embora invasores a "mano militare", não deixariam de estar sobrecarregados e aflitos com as conseqüências nefastas da guerra e das hecatombes telúricas, e, portanto, ainda assim, devendo ser considerados nossos irmãos do caminho, necessitados de apoio e arrimo, compreensão e amor.
Neste ponto da conversa, Chico fez uma pausa na narrativa e completou: "Nosso Brasil como o conhecemos hoje será então desfigurado e dividido em quatro nações distintas. Somente uma quarta parte de nosso território permanecerá conosco e aos brasileiros restarão apenas os Estados do Sudeste, somados a Goiás e ao Distrito Federal. Os norte-americanos, canadenses e mexicanos ocuparão os Estados da Região Norte do País, em sintonia com a Colômbia e a Venezuela. Os europeus virão ocupar os Estados da Região Sul do Brasil, unindo-os ao Uruguai, à Argentina e ao Chile. Os asiáticos, notadamente chineses, japoneses e coreanos, virão ocupar o nosso Centro-Oeste, em conexão com o Paraguai, a Bolívia e o Peru. E, por fim, os Estados do Nordeste brasileiro serão ocupados pelos russos e povos eslavos. Nós não podemos nos esquecer de que todo esse intrincado processo tem a sua ascendência espiritual e somos forçados a reconhecer que temos muito que aprender com os povos invasores. Vejamos, por exemplo: os norte-americanos podem nos ensinar o respeito às leis, o amor ao direito, à ciência e ao trabalho. Os europeus, de uma forma geral, poderão nos trazer o amor à filosofia, à música erudita, à educação, à história e à cultura. Os asiáticos poderão incorporar à nossa gente suas mais altas noções de respeito ao dever, à disciplina, à honra, aos anciãos e às tradições milenares. E, então, por fim, nós brasileiros, ofertaremos a eles, nossos irmãos na carne, os mais altos valores de espiritualidade que, mercê de Deus, entesouramos no coração fraterno e amigo de nossa gente simples e humilde, essa gente boa que reencarnou na grande nação brasileira para dar cumprimento aos desígnios de Deus e demonstrar a todos os povos do planeta a fé na Vida Superior, testemunhando a continuidade da vida além-túmulo e o exercício sereno e nobre da mediunidade com Jesus".
Segundo Chico Xavier, o Brasil não terá privilégios e sofrerá também os efeitos de terremotos e tsunamis, notadamente nas zonas costeiras. Acontece que, de acordo com o médium, o impacto por aqui será bem menor se comparado com o que sobrevirá no Hemisfério Norte do planeta.
Outra decisão dos benfeitores espirituais da Vida Maior foi a que determinou que, após o alvorecer do ano 2000 da Era Cristã, os espíritos empedernidos no mal e na ignorância não mais receberiam a permissão para reencarnar na face da Terra. Reencarnar aqui, a partir dessa data, equivaleria a um valioso prêmio justo, destinado apenas aos espíritos mais fortes e preparados, que souberam amealhar, no transcurso de múltiplas reencarnações, conquistas espirituais relevantes como a mansidão, a brandura, o amor à paz e à concórdia fraternal entre povos e nações. Insere-se dentro dessa programação de ordem superior a própria reencarnação do mentor espiritual de Chico Xavier, o espírito Emmanuel, que, de fato, veio a renascer, segundo Chico informou a variados amigos mais próximos, exatamente no ano 2000. Todos os demais espíritos, recalcitrantes no mal, seriam então, a partir de 2000, encaminhados forçosamente à reencarnação em mundos mais atrasados, de expiações e de provas aspérrimas, ou mesmo em mundos primitivos, vivenciando ainda o estágio do homem das cavernas, para poderem purgar os seus desmandos e a sua insubmissão aos desígnios superiores. Chico Xavier tinha conhecimento desses mundos para onde os espíritos renitentes estariam sendo degredados. Segundo ele, o maior desses planetas se chamaria Kírom ou Quírom.
O próprio Emmanuel, através de Chico Xavier, respondendo a uma entrevista já publicada em livro nos diz que as profecias são reveladas aos homens para não serem cumpridas. São, na realidade, um grande aviso espiritual para que nos melhoremos e afastemos de nós a hipótese do pior caminho.
[Acid]

PENSAMENTO DO DIA

"Tente de novo. Fracasse de novo. Fracasse melhor." [Samuel Beckett]

quinta-feira, 23 de junho de 2011

RELAXAR



Vivemos pressionados por tantas solicitações do mundo exterior, que se torna cada dia mais difícil encontrar um espaço de paz e serenidade dentro de nós.
Cobramo-nos mais coragem, mais competência, mais ambição, mais empenho na superação de nossas dificuldades.
E todas estas metas que nos impomos, acabam se constituindo em mais um obstáculo ao alcance da felicidade que tanto buscamos. Precisamos de uma pausa, uma postura mais amorosa e compassiva para conosco, que nos permita substituir a luta, pelo relaxamento em nosso próprio ser.
Mas, este relaxamento só poderá existir, se estivermos plenamente conscientes de que já somos o que desejamos ser, e que o êxtase e a alegria pelos quais tanto ansiamos já se encontram dentro de nós.
Se ainda não os experimentamos, certamente é porque nossos olhos têm se voltado muito mais para fora do que para o nosso próprio centro.
Enquanto continuarmos focados apenas no que nos falta e nas dores e dificuldades que o estado de inconsciência nos impõe, a luz que nos guiará no alcance da harmonia interior, continuará oculta.
Ela precisa de um estado receptivo, relaxado e, acima de tudo, confiante, para que possa expressar-se em toda a sua plenitude.
Não há qualidade ou energia que não possa ser convertida para o bem, para a bênção. E lembre-se, aquilo que pode tornar-se ruim, sempre pode tornar-se bom; aquilo que pode tornar-se prejudicial, sempre pode tornar-se útil. Útil e prejudicial, bom e ruim são direções. É uma questão simples de transformar mudando a direção e as coisas se tornarão diferentes.
A forma que você está se movendo agora é errada. Qual é a prova que algo está errado? A prova que algo está errado é que quanto mais você se move, mais você se torna vazio, quanto mais você se move, mais você se torna triste; quanto mais você se move, mais você se torna impaciente; quanto mais você se move, mais você é preenchido com escuridão. Se for esta a situação, então, certamente você está se movendo erradamente.
Bem-aventurança é o único critério para a vida. Se sua vida não é bem aventurada, então, saiba que você está se movendo erradamente. Sofrimento é o critério de estar errado, e bem-aventurança é o critério de estar certo — não há outro critério. Não há necessidade de perguntar a mais ninguém.
Você pode usar esse critério todo dia, na sua vida cotidiana. O critério é a bem-aventurança. É o mesmo critério de testar ouro esfregando-o em uma pedra: o ourives jogará fora o que quer que não seja puro e colocará o que é puro na sua loja.
[Elisabeth Cavalcante]

OS PRÓXIMOS 50 ANOS

MENSAGEM  DE  BEZERRA  DE  MENEZES
 Quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Irmãos amigos, devotados obreiros da seara de Jesus! Abraçando-os em nome dos trabalhadores do lado de cá, rogamos ao Mestre Amigo bênçãos de paz para todos.
Os novos tempos em transcurso no plano físico anunciam uma era de transformações necessárias à implementação do processo evolutivo do ser humano. Os dois planos da vida se irmanam e laços de solidariedade se estreitam, tendo em vista os acontecimentos previstos.
Em atendimento aos compromissos firmados por orientadores do Planeta, almas abnegadas se desdobram em atividades, definindo responsabilidades e tarefas a serem desenvolvidas em épocas específicas.
Não longe, porém, nas regiões purgatoriais de sofrimento que assinalam o perfil dos seus habitantes, no mundo espiritual, almas se agitam, movimentam-se, produzindo ruídos e clamores na expectativa de se beneficiarem, de alguma forma, com a programação que o Alto determina.
Desassossegados, temem as mudanças que já lhes foram anunciadas e, por não saberem ainda administrar emoções e desejos, dirigem-se às praças públicas e aos templos religiosos de diferentes interpretações para debaterem e opinarem: ora aceitam os ventos das mudanças, ora se rebelam, posicionando-se contra elas. Nesse processo, influenciam os encarnados que lhes acatam as opiniões vacilantes e, ao mesmo tempo, são por eles influenciados.
O certo é que a Humanidade chegou a um ponto de sua caminhada evolutiva que não mais se lhe permite retrocesso de qualquer natureza. Para os próximos cinqüenta anos já se delineia um planejamento destinado a ser cumprido por uma coletividade de Espíritos que irão conviver com grandes e penosos desafios.
Trata-se de uma população heterogênea constituída de almas esclarecidas e de outras em processo de reajuste espiritual. As primeiras revelam-se iluminadas pelo trabalho desenvolvido na fieira dos séculos, quando adquiriram recursos superiores de inteligência e de moralidade.
Retornam à reencarnação para exercer influência positiva sobre as mentes que se encontram em processo de reparação, necessitadas de iluminação espiritual.
 A atual Humanidade será pouco a pouco mesclada por esses dois grupos de Espíritos reencarnantes. Inicialmente na sua terça parte, abrangendo todo o Planeta, depois, dois e três terços. O trânsito entre os dois planos estará significativamente acelerado. Um trânsito de mão dupla acrescentamos, pois coletividades de encarnados também retornarão à Pátria verdadeira.
Anunciam-se, então, o processo renovador de consciências por meio de provações, algumas acerbas .
Uma operação de decantação que visa selecionar os futuros habitantes do Planeta, aqueles que deverão viver os alvores da Era da Regeneração.
 A massa humana de sofredores, de Espíritos empedernidos, repetentes de anteriores experiências, retornará à gleba terrestre em cerca de cinqüenta anos, mas os guardiões da Terra estarão a postos, ao lado de cada encarnado ou desencarnado convocando-os á transformação para o bem.
É a era do espírito, anunciada a clarinadas na manhã do dia de ontem, 18 de abril de 2010, no momento em que o sol lançava os seus primeiros raios à Terra. Em região muito próxima ao plano físico, habitantes do Além quase que se fundiram com a humanidade encarnada para, em reunião de luz e vibração amorosa, ouvir o mensageiro de Jesus que lhes traçou as diretrizes de uma nova ordem planetária, que ora começa a se estabelecer.
Ismael falou emocionado para os representantes de todas as nacionalidades, logo após a manifestação clamorosa dos seus patronos e guias.
Revelou planos de Jesus relacionados à cristianização dos homens. Ao final da abençoada assembléia, Espíritos valorosos deram-se as mãos, envolvendo o Planeta em suas elevadas vibrações, transformadas em pérolas que caiam do alto sobre os seus habitantes, atingindo-lhes a fronte na forma de Serafina luminosidade.
Estejam, pois, atentos para os acontecimentos, meus filhos. Reflitam a respeito do trabalho que se delineia e, do posto de serviço onde se encontrem, sejam, todos e cada um, foco de luz, ponto de apoio.
Ouçam as vozes do céu, pois estão marcados pela luz dos guardiões planetários. Façam a parte que lhes cabem. Sejam bons, honestos, laboriosos, fraternos.
Os dias futuros de lutas e dores assemelham-se aos "ais" apocalípticos. Surgirão aqui, acolá e mais além, implorando pela união, compaixão e misericórdia, individual e coletiva.
Assim, irmãos e amigos, não cometam o equívoco de olhar para trás, mas coloquem as mãos na charrua do Evangelho e sigam adiante.
Não repitam a experiência à mulher de Ló, o patriarca hebreu que, possuidora de fé frágil, olhou para trás em busca dos prazeres perdidos, transformando-se em estátua de sal, desiludida pela aridez das falsas ilusões.
Façam brilhar a própria luz, meus filhos! Este é o clamor do Evangelho, hoje e sempre!
Bezerra.
[Comunicação psicografada por Divaldo Pereira Franco, de autoria espiritual de Bezerra de Menezes]

PENSAMENTO DO DIA

"A experiência é o nome que damos aos nossos erros." [Oscar Wilde]

quarta-feira, 22 de junho de 2011

HAIKAI PRA HOJE

negro e revolto
o mar de inverno
pressagía desgosto
[Eugénia Tabosa]

VISUALIZAÇÃO CURATIVA


Em muitos casos, numa doença, além do tratamento médico convencional, para se conseguir a cura, pode ser necessária também a utilização de recursos que vão além dos meios físicos - recursos tais como a utilização da mente.
E são as descobertas das pesquisas da física atual demonstrando uma interatividade entre o observador e os objetos de sua observação e sugerindo que todas as coisas existem num estado de possibilidade até que alguém as visualize, que nos aproximam sempre mais do mundo invisível. Mundo invisível esse que talvez sustente e mantenha através da conexão cérebro-mente a realidade da forma que a idealizamos, consciente ou inconscientemente.
Foi no início dos anos 70 que o radioterapeuta Carl Simonton descobriu, com a ajuda de sua mulher, a psicóloga Stephanie Simonton, que o uso das imagens mentais poderia contribuir para diminuir os efeitos colaterais e para ampliar os efeitos da radioterapia. Além do tratamento médico, eles instruíam os pacientes a visualizar o sistema imunológico destruindo as células cancerosas e a visualizar os órgãos afetados se tornando saudáveis. As curas por eles obtidas em alguns pacientes com câncer avançado demonstraram a possibilidade de as imagens mentais curativas poderem ser um poderoso método complementar de cura.
Tive a oportunidade de comprovar isso por mim mesmo, em consequência de um acidente ocorrido comigo quando me encontrava em período de estudos na Inglaterra. Aconteceu durante o meu trabalho de pesquisa no Laboratório de Imunologia Experimental do Instituto Chester Beatty, quando, ao inocular um rato, eu espetei o dedo com uma agulha cheia de células leucêmicas. Aparentemente, a partir daí resultou um quadro clínico muito grave com comprometimento dos rins.
Enquanto eu aguardava ser transferido para a Unidade Renal, entrei em profunda depressão e passei a me perguntar: Por que eu? Não achava justo que depois de todos os meus esforços para aprimorar-me cientificamente para começar a produzir, eis que, de repente, tudo iria terminar. Mas, também comecei a pensar: as doenças que afetam os outros, essas por acaso teriam sentido? Afinal, o que tinha eu de tão especial que devesse me conferir imunidade e garantia de vida? Assim, aos poucos, calou-me fundo a lição da Humildade. Mas eu tinha que lutar. Afinal, nunca havia entregado os pontos facilmente. Ao contrário, havia apurado o gosto pela luta na prática do karatê, tendo sido aluno do professor Mitsusuke Harada e do mestre Taketo Okuda. E eis que, pensando nisso, de repente, lembrei-me da técnica da
visualização curativa dos Simontons através da qual os pacientes imaginavam-se lutando contra os seus males e os venciam.
Comecei, então, a visualizar as minhas células de defesa formando anticorpos que se uniam aos microorganismos que estavam me prejudicando, inativando-os e limpando os meus rins, que começavam de novo a formar a urina, que ia sendo coletada na bexiga, gota a gota. Interessante é que em nenhum momento me ocorreu qualquer dúvida a respeito de que o que eu estava fazendo não fosse o que deveria fazer, pois uma indescritível certeza de que aquela visualização era absolutamente vital invadia-me sempre mais.
Num estado de consciência entre o torpor e a vigília, ia repetindo lentamente todo o processo, passando a identificar-me com a própria revitalização dos rins e o restabelecimento da sua função normal. Durante a noite toda, esse único quadro, que mentalmente visualizei, ocupou todo o meu ser. No dia seguinte, enquanto estavam sendo instalados os tubos necessários à diálise peritoneal, antes de passar para a hemodiálise, eu expressei o desejo de urinar, e qual não foi a surpresa de toda a equipe médica quando comecei a urinar, parecendo que não iria acabar mais. Com minha recuperação, a diálise foi logo interrompida e em poucos dias tive alta, curado.
O que tive foi classificado como doença, de características infecciosas, grave e progressiva. Soube depois que um dos experientes colaboradores da equipe médica do Hospital Royal Marsden chegou a prognosticar-me no máximo 48 horas de vida. Detalhes disso tudo os relato no meu livro "Câncer - Corpo e Alma".
Quanto à visualização que fizera, havia-me esquecido totalmente dela, até quando, muitos meses depois, já de volta ao Brasil, assistindo a um curso do médico Celso Charuri sobre o Poder da Mente, lembrei-me do que havia feito e a relacionar as coisas, reconhecendo-lhe a importância e começando a empregá-la inúmeras outras vezes, certificando-me sempre mais do seu enorme valor e poder. Semelhante a esse, há muitos outros exemplos que servem para mostrar que há técnicas e métodos que podem complementar o tratamento com os procedimentos médicos que a moderna tecnologia científica nos dispõe.
O melhor é que, através da visualização curativa, o próprio paciente pode participar ativamente na luta contra as suas doenças, enquanto o seu corpo estiver sendo cuidado pelos médicos. E se o paciente tiver algo muito importante para realizar ou para levar a cabo, tal motivação poderá, através da emoção, intensificar a sua visualização curativa, o que ajudará a alavancá-lo em direção à saúde e à vida.
[Renato Mayol]

PENSAMENTO DO DIA

"Tenho em mim todos os sonhos do mundo." [Fernando Pessoa]

terça-feira, 21 de junho de 2011

A MEMÓRIA DE AMOR QUE HÁ EM NÓS


Nada, na experiência humana, compara-se a ao amor sublime e divino que experimentamos quando estamos em dimensões superiores, onde conseguimos viver intensamente a experiência de sermos Um com Deus, onde tudo é amor e luz. Assim, ao encarnarmos, carregamos conosco a doce lembrança dessa divina experiência e queremos encontrar aqui a mesma qualidade e essência desse amor, porém,  mergulhamos na dualidade, a sensação da separatividade nos invade e esse mesmo tipo de amor tão sublime é "quase impossível" de ser experimentado. Por sentirmos falta desse tipo de amor, passamos a vida procurando encontrá-lo através das pessoas. Como ninguém poderá nos suprir nesse amor que tanto desejamos, passamos a acreditar que não somos amados. Não conseguimos reconhecer que aquilo que as pessoas nos oferecem, é amor na forma "densa" e que é tudo o que podem nos oferecer, pois elas também se sentem isoladas e não amadas como nós.
Viemos com o coração cheio de amor para oferecer para as pessoas e, para não sofrermos, amando sem sermos amados, fechamos nosso coração e decidimos que só o abriríamos novamente, se e quando nos sentíssemos verdadeiramente amados e seguros desse amor. Assim, sempre que começamos uma relação, mostramos nossa melhor imagem para o outro, "fingimos" oferecer tudo o que há de melhor em nós, na tentativa de provar o quanto valerá à pena nos amar. Porém, não está aí inclusa a verdadeira energia de amor, em essência, apenas oferecemos energias "pseudo-amorosas", que chegam ao outro como "boas vibrações". Como dificilmente existem trocas de boas vibrações entre as pessoas, essas "fagulhas de afeto" chegam ao outro como um néctar do amor. Nossa intenção inconsciente é fisgar o outro, fazendo-o acreditar em nosso amor, até que ele comece a abrir seu coração e a nos amar de verdade.
Porém, isto não acontece, pois o outro, assim como nós, passou pelas mesmas decepções e dores, e está com o coração fechado. Está agindo da mesma maneira, nos oferecendo fagulhas de afeto, para nos encantar, até que possamos abrir nosso coração provando a ele nosso amor, para só então abrir o seu coração. Desta forma, ninguém nunca amará e nem confiará em ninguém.
Se nos conscientizarmos de que o amor sublime que tanto desejamos sentir e receber existe, mas que não é tão fácil experimentá-lo neste plano de existência, e aceitarmos essa realidade, poderemos encontrar um novo caminho para a experiência de amor. Para isso, precisamos desejar, com todo o nosso ser, acessar a melhor condição e sentimento de amor que há guardado em nós. Já vivemos a experiência do amor real e divino, portanto, carregamos em nossa consciência superior os registros dessas experiências, assim, acessando esses registros, entraremos em contato com as sensações e sentimentos da experiência mais divina de amor e de plenitude. É um sentimento que toma conta de todo o nosso ser e não há palavras que possam descrevê-lo. Isto é possível durante a meditação, se tivermos a intenção de entrar nessa sintonia. Estas lembranças estão guardadas em uma caixa de jóias, que nosso Espírito trouxe na bagagem, para que pudéssemos acessá-la quando estivéssemos conseguindo lidar com nossas crenças negativas, de forma madura, e prontos para começarmos a acreditar no amor, criando relações baseadas no amor, mesmo mergulhados na dualidade.
Quando chegamos a esse ponto, podemos reaver nossa caixa de jóias e, ao entrarmos em sua sintonia, seremos envolvidos por uma intensa energia de amor que será tão sublime, que não sentiremos falta de amor e isto fará com que não precisemos mais buscar no outro o amor que desejamos, sentiremos que essas experiências, que nos transportam ao amor divino e puro, nos bastarão. Desta forma, teremos um novo brilho em nosso olhar, ao olhar para os outros e descobriremos que eles também carregam uma caixa de jóias, mas ainda não sabem disso. Quando estivermos vibrando em intenso amor, aqueles que ainda não conseguiram acessar suas pérolas de amor virão direto a nós, e perceberemos, que por estarem densos e na ignorância, tentarão "sugar" essa energia de nós, em desespero. Se tivermos consciência e formos humildes de coração, não os julgaremos, mas os interditaremos de maneira suave, somente na energia. Sem nos sentirmos ameaçados pelos menos providos de amor interior, poderemos projetar nossa energia de amor a eles, sem condições, e isso fará com que despertem para o amor.
Ao se sentirem amados sem que lhes seja exigido algo em troca, e sem se sentirem ameaçados de serem sugados por nós, instintivamente irão se sentir gratos por nossa vibração de amor incondicional e, conseqüentemente, essa vibração de gratidão será o puro amor de sua caixinha de jóias que será emanado em nossa direção. Assim, sem precisarmos do amor do outro, conseguiremos doar, ao doarmos, receberemos. Se o outro, por esta experiência, sentir a existência de sua caixa de jóias, irá acessá-la e passará igualmente a não precisar de nosso amor e começará a emaná-lo ainda mais em nossa direção. Se fizermos isso com os demais e estes sentirem as mesmas sensações e passarem vibrarem a todos. Por ressonância, isso se espalhará e logo estaremos vivendo em ambientes mais amorosos e saudáveis.
Se quisermos sentir o verdadeiro amor nos envolvendo, não haverá outro caminho a não ser para dentro de nós, em busca de nossa caixa de jóias.
[Teresa Cristina Pascotto]